terça-feira, 3 de março de 2015

CAPÍTULOS X - XI


 CAPÍTULO X

   A vida do Buddha, após alcançar a Iluminação, era Paz e Felicidade perfeitas. Sua vida como Buddha começou sob a árvore da Iluminação, em Bodh Gaya. Para marcar este lugar histórico, existe um mosteiro perto da árvore Bodhi, construído pelo Rei Asoka, no século 3 a.C., que permanece até hoje de pé, imponente. 
O Buddha não comeu por quarenta e nove dias. O arroz com leite foi suficiente para Ele passar sete semanas sob aquela árvore. Ele teve a sorte de receber refeição semelhante quando finalizou o jejum de quarenta e nove dias. Nesta altura, dois mercadores, Tapassu e Bhalluka, vinham na direção do Buddha, e O viram. Pensaram que tratava-se de um homem extraordinário, devido à Sua aparência luminosa e santa. Os dois homens não podiam passar sem oferecer ao Buddha bolo de arroz e de mel, que haviam preparado para a viagem que faziam. O Buddha aceitou-a. Tendo comido Sua primeira refeição, Ele pregou com Compaixão para os dois mercadores irmãos. Eles entenderam os Ensinamentos, e tornam-se os primeiros discípulos de Buddha. Logo de início, o Abençoado relutou em ensinar o que havia descoberto. Então, Sahampati Brahmaraja ( o Deus Brahma ) pediu ao Sublime para que pregasse o Dhamma (15). 
De início Ele pensou em pregar para Seus instrutores, porém, viu logo que eles já haviam falecido. Ele então decidiu reencontrar os Cinco Ascetas, companheiros de Uruvela. Com Sua Visão, soube que os Cinco Ascetas se encontravam no Parque das Gazelas, em Isipatana, perto de Benares (Varanasi hoje), e Ele então dirigiu-se para lá. Foi neste parque que Buddha enunciou pela primeira vez as Quatro Nobres Verdades, cujo sermão ficou famoso como "Girando a Roda da Lei" (em oposição à Roda da Vida). O Buddha foi ao encontro dos Cinco Ascetas, para transmitir-lhes Sua descoberta. Os Ascetas viram o Buddha aproximando-se ao longe e combinaram desprezá-Lo. O Buddha chegou até eles enquanto confabulavam e, pela Sua Figura e Presença, eles não puderam agir conforme o combinado. De repente, eles se levantaram e fizeram uma reverência. Quando O chamaram por Gotama, Ele lhes disse que agora era o Budha; Gotama estava morto. Neste calmo e tranqüilo entardecer, Ele proferiu Seu primeiro sermão, girando a Roda da Lei para os Cinco Ascetas. Os seis, no Parque das Gazelas, estavam acompanhados de muitos animais e Devas. Kondañño foi o primeiro afortunado a alcançar o primeiro estágio de santidade(16), ao ouvir o que o Buddha dizia. Todos os cinco companheiros foram então admitidos como monges da nova ordem então criada pelo Abençoado. 

O número de seguidores e convertidos aumentava, com a divulgação da mensagem de Buddha. Pessoas vinham de várias partes da Índia para conhecer Sua mensagem. Após o primeiro retiro da estação chuvosa, o Buddha enviou monges para diferentes direções, dizendo-lhes: "Ide, ó monges, com Compaixão pelos milhares; que dois monges não sigam pelo mesmo caminho!". Assim missionários foram postos em diversas direções, e o próprio Buddha partiu para Senani, para pregar o Dhamma.

  
  
  
  

 CAPÍTULO XI

    O Buddha pensou em visitar Rajagaha, o Reino do Rei Bimbisara, mas passou uma temporada em Senani. O Buddha havia prometido, ainda asceta, que voltaria a visitar o Rei quando se iluminasse. O Sublime explicou as Quatro Nobres Verdades ao Rei Bimbisara e este o ouviu com atenção. Por fim. Ele também atingiu o primeiro estágio de santidade (Sottapana). O Rei então doou uma bela área, cheia de mangueiras, para a Ordem budista. Bem mais tarde é que o Buddha e Seus discípulos aceitaram e ocuparam a área. 
Um outro evento importante foi a admissão na ordem de dois jovens, que eram devotos brâmanes: Upatissa (que recebeu o nome budista de Sariputta) e Kolita (que recebeu o nome budista de Moggallana). Estes dois eram grandes amigos e praticavam seus deveres religiosos a fim de descobrir a verdade da vida. Um prometera ao outro contar suas experiências, caso um deles descobrisse a verdade primeiro. Certa vez, um deles encontrou o monge Assaji, discípulo do Buddha, que pronunciava um discurso sobre a Doutrina. Ao ouvi-lo, Upatissa atingiu o primeiro estágio de santidade, e foi ter com Kolita, ensinando os mesmos versos que ouvira. Mais tarde, Kolita também logrou o primeiro estágio de santidade. Por fim, os dois foram ter com o Buddha, em busca de esclarecimentos. 
O Buddha logo viu qual era o nível mental deles e pregou de acordo. Eles tomaram-se discípulos, e a sabedoria e os poderes psíquicos que cada um desenvolvera, respectivamente, tomaram-nos bem conhecidos entre os membros da Comunidade budista (Sangha). Assim eles foram elevados à categoria de principais discípulos do Buddha.

  
  
  
  
  

 NOTAS

  (6)- Era costume na Índia antiga as pessoas proverem os ascetas errantes a sua alimentação. 
(7) - Estado de Vacuidade: onde se percebe a insubstancialidade dos fenômenos e a impessoalidade de todas coisas: assim tudo não tem em essência um ego permanente. Todas as coisas são "vazias" ou carentes de uma unidade eterna e imutável. 
(8) -  Estado da "não-percepcão, nem não-percepção": onde a consciência está suspensa e com ela temporariamente o sofrimento. Todos os estados acima descritos, o Buddha descobriu serem insatisfatórios. Faltavam a estes estados ou práticas a visão ativa e penetrante da Sabedoria. Da forma como Gotama foi ensinado, Ele só conseguia, no máximo, uma grande tranqüilidade. Seus instrutores eram meramente quietistas. 
(9) - Finalmente Ele descobriu que o verdadeiro mestre é o interno. 
(10) - Buddha comparou o Caminho do Meio às cordas de um instrumento que não dão bom som quando muito esticadas, ou quando estão frouxas demais. 
(11) -  Sabedoria é um conhecimento que não se acumula, mas se obtém com a vida e a prática. 
(12) -  As forças negativas na mente do asceta Gotama foram como demônios nessa Sua luta pela Iluminação. 
O Budismo diz que os demônios estão em nós mesmos A história da luta de Gotama com Mara é figurativa. 
(13) - Primeira:    a verdade da existência do sofrimento; 
Segunda:    a verdade da causa do sofrimento; 
Terceira:    a verdade da cessação do sofrimento, 
Quarta:      a verdade do Caminho que conduz ao fim do sofrimento. 
(14) -  Esses oito fatores estão presentes em nossa vida, só que de forma incompleta ou  superficial. Budismo é pôr a vida no lado positivo, cultivando esses Oito Fatores. A palavra páli "Samma" significa "correto", "completo" ou "total", que qualifica cada um dos fatores. 
(15) -  É o próprio deus Brahma quem pede a Buddha para deixar a indecisão de lado e pregar. Buddhainicialmente pensou que as pessoas não entenderiam Sua mensagem, mas depois viu que há pessoas em todos os níveis de compreensão. Resolveu pregar, por compaixão. 
(16) -  O primeiro estágio de santidade é aquele em que se venceu a ilusão do ego, o apego às regras espirituais. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário